CORRELAÇÃO DO ESTADO COGNITIVO COM A IDADE E ANOS DE ESTUDO DE IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

  • Francisco Dimitre Rodrigo Pereira Santos Unidade de Ensino Superior do Sul do Maranhão
  • Fernanda Carneiro Ramos
  • Priscila Kellen Nascimento Roza
  • Raisa Ramos dos Anjos
  • Leticia Bezerra da Silva

Resumo

O processo de envelhecimento é diretamente proporcional ao declínio cognitivo do idoso, sendo este advindo de alterações anatomofisiológicas que o sistema nervoso central sofre com o passar do tempo e pode ser agravado por fatores externos como residir em Instituição de Longa Permanência para Idosos. Neste contexto, tem-se como objetivo verificar a correlação do estado cognitivo com a idade e com os anos de estudo de idosos residentes em Instituição de Longa Permanência para idosos. Para tanto, foi realizado um estudo transversal com abordagem quantitativa, com 17 idosos institucionalizados. Os dados sociodemográficos e clínicos foram coletados dos prontuários clínicos do departamento de enfermagem; a capacidade cognitiva foi avaliada pelo questionário Mini Exame do Estado Mental, composto por um grupo de 11 questões divididas em categorias. Os dados foram analisados pelo programa BioEstat 5.0, estatística descritiva, teste ANOVA seguido pelo teste de Tukey para determinar as diferenças entre os dados e o Qui-Quadrado, com margem de erro de 5% (p=0,05). Houve prevalência do sexo masculino (58,8%); no estado mental foi verificada média de 17,3, a idade dos idosos apresentou média de 78,05 anos e 3,5 anos de estudo. Foi identificado que quanto maior a idade menor é a capacidade cognitiva do idoso institucionalizado (p=0,0001) e quanto menor os anos de escolaridade menor é a capacidade cognitiva (p=0,0012). Assim, o declínio do estado cognitivo apresenta uma correlação significativa e inversamente proporcional com a idade e diretamente proporcional com a escolaridade dos idosos institucionalizados.

Publicado
2019-11-13
Seção
Artigos