PERFIL CLÍNICO- EPIDEMIOLÓGICO DE PACIENTES COM SÍNDROME DO DESCONFORTO RESPIRATÓRIO AGUDO EM UTI PEDIÁTRICA

  • Alana Dâmaris Lopes Residência Multiprofissional em Saúde da Criança - REMUSC
  • Milena Lins da Cunha Dias Residência Multiprofissional em Saúde da Criança - REMUSC

Resumo

O comprometimento do sistema respiratório é uma predominante causa do atendimento hospitalar pediátrico, sendo a Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo (SDRA) a manifestação mais grave desse comprometimento. Foi realizado um estudo transversal, quantitativo e retrospectivo, em um hospital pediátrico referência na Paraíba, objetivando caracterizar o perfil clínico e epidemiológico de crianças com SDRA e investigar sua prevalência. Os dados, coletados em prontuários e livros de ocorrências, foram analisados por meio de estatística descritiva e inferencial bivariada, utilizando o software R. Entre 2014 a 2017 foram admitidos 1556 pacientes, 22,7% necessitaram de VMI e 26 crianças foram diagnosticadas com SDRA, sendo incluídas 21 destas na amostra final. O grupo do sexo masculino permaneceu em média 63,91 (±15,28) dias em VMI, enquanto o feminino 10,82 dias (±10,25). A patologia de base mais frequente foi a pulmonar, predominando a pneumonia (52,38%). O tempo mediano de internação hospitalar do sexo masculino foi de 60 dias e do feminino 12 dias, com diferença significativa (p = 0,004). No desfecho clínico, 91% foram a óbito. Observa-se neste estudo, que diferente da incidência que está abaixo do encontrado na literatura, o índice de mortalidade está muito acima do encontrado em outros centros.

Biografia do Autor

Alana Dâmaris Lopes, Residência Multiprofissional em Saúde da Criança - REMUSC
Fisioterapia. Fisioterapia pediátrica.
Milena Lins da Cunha Dias, Residência Multiprofissional em Saúde da Criança - REMUSC
Fisioterapia. Fisioterapia pediátrica.
Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos