ACOLHIMENTO REALIZADO PELO ENFERMEIRO AO PACIENTE COM TRANSTORNO MENTAL NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA

  • Juliana Lemos Schneid UNIVERSIDADE DE GURUPI - UNIRG

Resumo

A Política Nacional de Saúde Mental, em 2001 trouxe mudanças significativas na forma como os pacientes são assistidos. Foi proposto um novo modelo de assistência centrado na humanização e na inserção social com uma abordagem multiprofissional. O objetivo foi analisar como o enfermeiro integrante da equipe da ESF realiza o acolhimento ao paciente com transtorno mental na atenção básica. Este estudo tratou-se de uma revisão sistemática de literatura onde foram pesquisados artigos que analisaram como o enfermeiro integrante da equipe da ESF realiza o acolhimento ao paciente com transtorno mental na atenção básica. Foram empregados os Descritores em Ciências da Saúde (DeCS) “acolhimento”, “saúde mental”, “atenção básica” e “enfermagem”, determinados a partir da Biblioteca Virtual de Saúde (BVS). Os resultados encontrados foram 410 artigos, sendo que destes foram selecionados 12 artigos que se enquadravam nos critérios de inclusão. Diante dos artigos selecionados seis estavam compreendidos no período entre 2015 e 2010 e cinco entre 2008 e 2003. Em relação ao método, verificou-se que todos os estudos são qualitativos. Foram encontradas três categorias temáticas: ações desenvolvidas pelo enfermeiro da ESF relacionadas ao paciente com transtorno mental; Percepção sobre transtorno mental na atenção básica; Acolhimento ao portador de transtorno mental. Concluiu-se que o acolhimento em saúde mental realizado pelo enfermeiro consegue criar vínculos entre profissional e o paciente, de forma que a escuta, a compreensão e entendimento estejam presentes. Fazendo com que essa relação proporcione a inclusão do usuário como responsável pela sua saúde, possibilitando a criação de sua autonomia como cidadão.

Publicado
2019-12-20
Seção
Artigos