AVALIAÇÃO DE MODELOS EMPÍRICOS DE CINÉTICA DE SECAGEM DA AMÊNDOA DA FRUTA DO CONDE (Annona squamosa L.).

  • Paulo Cléber Mendonça Teixeira UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS

Resumo

A utilização dos modelos matemáticos seguros facilita calcular o procedimento dos vários fenômenos que ocorrem através da técnica de secagem. Contudo há diminuição de despesa operacional. Este estudo apresentou como objetivo determinar a cinética de secagem da amêndoa da fruta do conde (Annona squamosa L.), bem como ajustar diferentes modelos matemáticos em função do teor de água. As amêndoas da fruta do conde foram submetidas à secagem sob as temperaturas de 50, 60 e 70 ºC em um secador experimental até o teor da água de 0,14 (ds). Os dados experimentais foram ajustados aplicando cinco modelos matemáticos. Pode-se concluir que a secagem convectiva da amêndoa da fruta do conde apresentou quanto maior a temperatura, menor o tempo de secagem. O modelo Midilli expresso o melhor ajuste, usando fatores estatísticos de verificação: maiores coeficientes de determinação, menores erros médios.  

  

Biografia do Autor

Paulo Cléber Mendonça Teixeira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO TOCANTINS
Prof. da Universidade Federal do Tocantins, do departamento de Engenharia de Alimentos. Corredenador do Curso de matemática/PARFOR. Licenciado em Matemáticatica, pela Universidade federal do Ceará, mestrado em tecnologias Energéticas núcleares, pela Universidade Federal de Pernambuco, e doutor em Biodiversidade pela Universidade federal do Tocantins.
Publicado
2020-07-05