Prevalência de Excesso de Peso em Crianças Menores de Dois Anos e Fatores Associados

  • Janaina Maiana Abreu Barbosa
  • Andressa Pestana Brito Universidade CEUMA
  • Ana Luísa Neris Reis
  • Pauliane Gonçalves da Rocha
  • Amanda Maria Sousa dos Reis
  • Allanne Pereira Araújo
  • Flor de Maria Araújo Mendonça Silva
  • Adriana Sousa Rêgo

Resumo

A obesidade infantil tem se mostrado um dos principais problemas de saúde pública da atualidade e pode ser um fator de risco para as doenças crônicas na fase adulta. A pesquisa objetivou verificar os fatores associados ao excesso de peso de crianças menores de dois anos atendidas em uma Unidade de Saúde de São Luís – MA. Estudo transversal e analítico, realizado nos meses de setembro a novembro de 2018. Foi aplicado um questionário contendo variáveis socioeconômicas, demográficas e reprodutivas da mãe e características nutricionais da criança. O excesso de peso foi classificado de acordo com o IMC/I. Foi realizada a análise multivariada, pelo método de regressão de Poisson. Das 78 crianças, 11,5% mamaram na primeira hora de vida, 38,5% estavam com excesso. Foi fator de risco para o excesso de peso não ter mamado na primeira hora de vida (OR: 2,35; IC 95%: 1,29 - 4,25), usar mamadeira (OR: 1,84; IC 95%: 1,08 - 3,15) e ter nascido com baixo peso (OR: 1,47; IC 95%: 3,21 - 6,77). Percebe-se a necessidade de um acompanhamento nutricional em idade precoce, a fim de evitar a má nutrição e minimizar os fatores de risco relacionados as alterações no crescimento.

Publicado
2020-12-17
Seção
Artigos