Transmissão vertical do HIV e pré natal: Uma revisão de literatura

  • Jonathan Jean Vilhaba unirg- universidade de Gurupi
  • Isadora Dias da Silva Moraes
  • Isadora Macêdo Lima
  • Isabela Macêdo Lima
  • Mariana Cavalcante Montino
  • Fabiana Cândida de Queiroz Santos Anjos
  • Priscila Ferreira Barbosa

Resumo

A transmissão materno-infantil ou transmissão vertical é a principal via de infecção de criança pelo HIV. A precariedade do sistema de pré-natal do Sistema de Saúde Brasileiro contribui para manter os níveis de transmissão ainda epidêmicos, apesar de um pré-natal precoce e feito de forma adequada reduzir a transmissão vertical do HIV. Em 2020, foi realizada uma pesquisa sistemática da literatura científica das principais bases de dados biomédicos: PUBMED, LILACS, BVS e Scielo, entre os anos de 2000 e 2020, mediante rastreio de artigos sobre Transmissão Vertical de HIV, correlacionando-os com o pré-natal no Brasil. Evidencia-se que a falta de pré-natal adequado influencia diretamente no desfecho da infecção materno-fetal do HIV/AIDS, pois não permite que seja traçada uma estratégia segura que evite a contaminação. Nesse cenário, percebe-se que as regiões que possuem menor oferta de serviços e/ou nas quais o pré-natal é inadequado, o nível de transmissão vertical do HIV é maior. Desse modo, no Brasil, há regiões em que há necessidade de políticas públicas mais eficazes para mitigar tais problemáticas.

  

 

 Palavras-chave: transmissão vertical, HIV, AIDS, pré-natal.

Publicado
2021-04-01
Seção
Artigos