Afastamentos por transtornos mentais de servidores públicos de uma instituição federal de ensino

Resumo

Os Transtornos Mentais e Comportamentais (TMC) estão entre os agravos mais crescentes nos últimos anos e entre as principais causas de afastamentos do trabalho no Brasil. Este estudo tem como objetivo avaliar os afastamentos do trabalho por TMC dos servidores do Instituto Federal do Tocantins nos anos de 2014 a 2018. Trata-se de um estudo, descritivo, retrospectivo e de abordagem quantitativa. Utilizou-se como base de informações, o Subsistema Integrado de Atenção à Saúde do Servidor (SIASS), a partir de análises das variáveis epidemiológicas e ocupacionais dos afastamentos dos servidores da instituição. Os resultados evidenciaram que a média de afastamento do trabalho por TMC foi de 31,3%, prevalecendo o grupo CID F40-48 e o CID F30-39, predominando o sexo feminino, a faixa etária entre 30 a 39 anos e o tempo na instituição entre 4 a 6 anos de trabalho. A categoria profissional não apresentou diferença estatística significativa para o número de afastamentos (p>0,05). Em relação a perda de dias de trabalhos os docentes apresentaram superioridade em relação aos TAE’s. Espera-se que este estudo possa contribuir para a implementação de estratégias mais efetivas de cunho preventivo, de promoção e de reabilitação à saúde, no intuito de minimizar os afastamentos e suas recorrências decorrentes dos TMC na instituição.

Biografia do Autor

Neilton Araújo de Oliveira, Universidade Federal do Tocantins

Médico e Professor, especialista em Saúde Pública e em Políticas e Estratégias Nacionais, Mestre em Saúde Coletiva, Doutor em Ciências (Ensino de Biociências e Saúde), Professor da Univ Fed do Tocantins (UFT), desde out/2004, onde coordenou a criação do curso de medicina, com uma proposta inovadora, criou (2005) e coordenou (até 2015) o Núcleo de Estudos da Saúde no Tocantins (NEST-UFT) e colabora na implementação de outros cursos de saúde da UFT e na articulação intersetorial Educação, Saúde e Desenvolvimento Regional. Adjunto de Diretor da ANVISA, de out/2007 a nov/2013, Diretor de Programa (dez/15 a out/16) e Sec Exec substituto (dez/15 a jul/16) do Ministério da Saúde (MS), militante ativo do SUS e da promoção da Cidadania, atuou (e atua) num conjunto amplo de Comisões e Representações, e na articulação e mobilização intersetorial no campo da saúde. Membro de diversas entidades e associações no campo sanitário, da Educação e da Ciência e Tecnologia, foi o articulador e um dos fundadores da "REDE DIREITO SANITÁRIO: Saúde e Cidadania" e membro do seu Conselho Gestor e Coordenador do Comitê Editorial do blog Direito Sanitário: Saúde e Cidadania. Militante do Movimento da Reforma Sanitária no então norte de Goiás, hoje estado do Tocantins, desde a década de 1970, onde articulou a criação do MOPS-Movimento Popular de Saúde (1981) e de entidades associativas-comunitárias, contribuindo para a criação do novo estado (1988), foi fundador e presidente nos dois primeiros mandatos do Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins (1989-1993), articulou a criação das demais entidades médicas no estado, além de vários sindicatos de trabalhadores na área da saúde e da educação, e outros ligados às lutas sociais na região. Principal articulador da criação, no início dos anos 90, do Conselho Estadual de Saúde do Tocantins e de inúmeros Conselhos Municipais de Saúde, além de articulador e organizador das primeiras Conferências Estaduais e Municipais de Saúde no Estado, participou de todas as Conferências Nacionais de Saúde, desde a V, membro da comissão organizadora na XI, XIII e XVI. Fundador e articulador do COSEMS-TO, em 1997, quando foi Secretário Municipal de Saúde de Palmas-TO (1997-2000), com inúmeras inovações na gestão de saúde, Vice-pres Norte do Conasems (1997-98), Vice-presidente Nacional (1999-2000) e Presidente do Conasems (2000-2001). Consultor e Assessor do MS (2001-2007), membro do CNS (2000-2001) e CNAS (2006-2007). Integrou e integra Comissões Técnicas e de Planejamento/gestão no campo da saúde e educação superior. Palestrante-conferencista na maioria das centenas de eventos que participou, incluindo Seminários, Congressos e outros no campo da Saúde, Educação Médica e em Saúde, Ciência e Tecnologia, Direito Sanitário, Direitos Sociais, Mobilização e Participação Social e outras Políticas Públicas. Com artigos e trabalhos publicados nestas áreas, atua em inúmeros GT e Projetos/Programas envolvendo Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde; Recursos Humanos; Planejamento e Avaliação em Saúde; Educação, Processos e Estratégias Pedagógicas; Integração Ensino, Serviços de Saúde e Comunidade; Interdisciplinaridade, Intersetorialidade e Desenvolvimento Comunitário; Cidadania e Qualidade de Vida. De 2009 a 2013, no âmbito dos Determinantes Sociais da Saúde, incentivou e articulou, em âmbito internacional e nacional, a criação da Rede Consumo Seguro e Saúde das Américas (RCSS), em cooperação com OEA e OPAS, sendo um dos articuladores e membro fundador do Grupo Consumo Seguro e Saúde Brasil (RCSS-GT.Brasil). Conselheiro de Administração da Hemobrás (2016-19); membro da Comissão de Elaboração do Plano Nacional de Resistência Antimicrobiana (2016-19) e outros fóruns, tais como CNRM-MEC (2016-19) e Comissão Mista de Especialidades Médicas (CFM 2018-19), hoje é docente no Mestrado Prof Ciências da Saúde/UFT, Assessor do M. da Saúde, Conselheiro Nacional de Saúde, membro da Mesa Diretora do CNS 

José Gerley Díaz Castro, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em Zootecnia - Universidad de La Amazonia (1989), graduação em Serviço Social pela Universidade Norte do Paraná (2015), mestrado em Biologia de Água Doce e Pesca Interior pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1994) e doutorado em Biologia (Ecologia) pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (1999). Atualmente é professor titular da Universidade Federal de Tocantins. Atua de forma multi e interdisciplinar nas áreas de ambiente e saúde.

Publicado
2021-04-01
Seção
Artigos