Otimização da faixa de frequência dos sinais de impedância adquiridos no monitoramento da integridade estrutural em tubulações industriais

Resumo

Através da implementação de um sistema de SHM nas tubulações, é possível monitorar a integridade estrutural de forma contínua e reduzir, assim, os riscos de acidentes que podem prejudicar a população e o meio ambiente. A técnica proposta é baseada em transdutores do tipo PZT, que são colados na superfície do corpo principal do tubo por meio de um adesivo de alta rigidez, e tem como vantagem básica a simplicidade. Os sensores, devidamente posicionados, são excitados em uma determinada faixa de frequência, gerando uma resposta que é medida através da impedância elétrica. Para detectar o dano, as diferentes medições são analisadas usando-se índices de falha métrica tradicionais na área de SHM. Buscando otimizar a faixa de frequência dos sinais de impedância coletados, um algoritmo bioinspirado denominado Busca Cuco foi aplicado visando encontrar a maior divergência entre o sinal Baseline e de Dano, encontrando a frequência mais sensível da estrutura onde o monitoramento deve ocorrer.

Biografia do Autor

Renan Garcia, Universidade Federal de Catalão

Bacharel em Matemática Industrial e Mestrando em Modelagem e Otimização, Universidade Federal de Goiás-Regional Catalão.

Camila Pereira da Silva, Universidade Federal de Goiás

Bacharel em Matemática Industrial e Mestranda em Modelagem e Otimização, Universidade Federal de Goiás-Regional Catalão.

José dos Reis Vieira de Moura Júnior

Doutor  em  Engenharia Mecânica, Universidade Federal de Catalão.

Stanley Washigton Ferreira de Rezende

Mestre em Modelagem e Otimização, Universidade Federal de Goiás – Regional Catalão.

Publicado
2021-10-11
Como Citar
GarciaR., Camila Pereira da Silva, José dos Reis Vieira de Moura Júnior, & Stanley Washigton Ferreira de Rezende. (2021). Otimização da faixa de frequência dos sinais de impedância adquiridos no monitoramento da integridade estrutural em tubulações industriais. REVISTA CEREUS, 13(3), 127-141. Recuperado de http://ojs.unirg.edu.br/index.php/1/article/view/3519
Seção
Artigos