Criptococose: conhecimento e percepção de moradores de Montes Claros-MG

  • Larissa Karoline Pinheiro Alves Centro Universitário FUNORTE
  • Bruna Santos Pereira Centro Universitário FUNORTE
  • Luisa Amélia Nogueira Soares Centro Universitário FUNORTE
  • Renata Souza Leite Vieira Centro Universitário FUNORTE
  • Janini Tatiane Lima Souza Maia Centro Universitário Funorte

Resumo

Objetivo: investigar o nível de conhecimento e percepção a cerca da criptococose por moradores de Montes Claros-MG. Método: estudo transversal, com caráter quantitativo e análise descritiva. Para a coleta de informações, foi utilizado um questionário semi-estruturado, disponibilizado de forma on line nas mídias sociais Instagram, Facebook e Whatsapp, com questões relacionadas ao conhecimento da população sobre a criação das aves, e demais pontos relacionados à criptococose. Utilizou-se o método Snowball (bola de neve) na condução da pesquisa. Resultados: apenas 77 moradores participaram da pesquisa, a maioria constitui-se de mulheres com idade entre 18 e 25 anos, apresentando ensino superior completo e renda familiar maior que três salários mínimos. A maior parte dos voluntários não mora próxima a um criatório de pombos; daqueles que moram e dos que moram, poucos afirmaram que a residência faz divisa com a propriedade e já  reclamaram com os criadores sobre sua atividade. A maioria já ouviu falar sobre a criptococose, e reconhece o fungo como o agente causador dessa enfermidade. Conclusão: a criptococose se mostrou uma doença conhecida entre a população, e que a maioria dos participantes não são criadores de pombos ou mantinham contato direto com estes.

Publicado
2022-07-07
Como Citar
AlvesL. K. P., PereiraB. S., SoaresL. A. N., VieiraR. S. L., & MaiaJ. T. L. S. (2022). Criptococose: conhecimento e percepção de moradores de Montes Claros-MG. REVISTA CEREUS, 14(2), 263-277. Recuperado de http://ojs.unirg.edu.br/index.php/1/article/view/3762
Seção
Artigos